log in

Novidades

Aquela Vez que um Carcaju nos Atacou em Far Cry 5

Destaque Aquela Vez que um Carcaju nos Atacou em Far Cry 5
Avalie este item
(1 Votar)

Enquanto jogava Far Cry 5 num evento em Livermore, na Califórnia, a equipe da Ubisoft invadiu uma estação de radar dominada pelo inimigo no topo de um morro. Neste ataque coordenado entre dois membros do estúdio rolou dinamite, armas de fogo poderosas e uma completa falta de furtividade.

Quase qualquer coisa pode acontecer no mais novo capítulo da série de mundo aberto cheia de ação da Ubisoft.

Conforme os soldados da resistência lutavam contra os perigosos cultistas, um carcaju selvagem apareceu do nada num ataque surpresa. Ele não fazia parte do sistema de defesa da estação com certeza. Não era um animal treinado e sendo usado pelo culto. Era apenas um carcaju. Bem bravo! Até o Diretor de Criação Dan Hay riu, surpreso com o torpedo peludinho voando pela tela.

O carcaju era um símbolo da jogabilidade emergente em Far Cry 5. Faz parte da qualidade que a equipe da Ubisoft Montreal tenta colocar a cada esquina, elevando a liberdade já conhecida da franquia a novos patamares.

A ambientação de Far Cry 5 contém vários marcos da série: o enorme mundo aberto, as “set pieces” de ação extravagantes, o vilão icônico. Em Far Cry 5 os jogadores controlam um oficial da lei novato que se encontra em Hope County, Montana — um local belo e remoto sob controle de Joseph Seed e seu culto, o Project at Eden’s Gate. Após uma tentativa falha de prender Joseph Seed, os jogadores devem construir uma resistência em Hope County e remover o culto.

Como vai fazer isso, entretanto, depende de você.

Existem vários sistemas em Far Cry 5 em conflito constante uns com os outros. Momentos de ação intensa acabam em tensão cheia de furtividade. Membros da resistência reagem aos soldados do culto quando eles passam muito perto, mesmo de carro. Animais continuam suas vidas, passando ocasionalmente pelas estradas de terra batida. Companheiros de IA (chamados Guns For Hire) providenciam poder de fogo adicional, e um urso, urso mesmo (Fangs For Hire), faz coisas de urso. As interações entre estes sistemas resultam na jogabilidade emergente que torna Far Cry 5 tão interessante.

As possibilidades são intermináveis. A própria narrativa reage à interferência do jogador. Assim que o tutorial de Far Cry 5 for completado, os jogadores poderão ir para qualquer lugar sem se preocupar em destravar torres e abrir o mapa numa ordem linear. Personagens e pontos de interesse se ajustarão com base nas decisões do jogador ao enfrentar o culto Project. A Ubisoft Montreal reconhece, entretanto, que algumas pessoas podem acabar indo pescar por horas a fio. Pode ser que isso não ajude muito a resistência, mas quem se importa quando existem tantos peixes para pescar?

Quando os desenvolvedores interferem para direcionar a ação, os resultados são enormes. A abertura de Far Cry 5 apresenta os jogadores ao líder do culto, Joseph Seed. Greg Bryk está ótimo como Joseph, com olhares de cortar a alma e sussurros arrepiantes, o que coloca ainda mais lenha na fogueira do jogador para querer liberar a comunidade. QUando o diálogo termina e a Ubisoft Montreal devolve o controle aos jogadores, o caos magnífico recomeça.

Não importa como os jogadores decidirem lutar contra a família Seed e salvar o povo de Hope County, uma coisa é certa: tema o carcaju!